Oi, Sou Cotista!

Depois da evolução de terem aprovado o aborto dos anencéfalos, o Estado me vem com uma que não consigo entender: aprovaram-se as cotas para as universidades públicas.


Não consigo entender por simplesmente um só motivo: perante as leis, deveríamos ser iguais. Ter os mesmos direitos. 


Resguardar vagas para determinadas pessoas sinaliza que uns possuem privilégios e outros não, baseados em sua cor de pele ou outros  motivos (no caso dos índios, simplesmente deu um branco em qual palavra usar).


A prerrogativa da dívida que supostamente temos é uma falácia gigantesca. É como se o Estado procurasse um meio mais rápido de modificar algo que ele tem preguiça de fazer: incentivar uma educação de qualidade e eficiente a quem quer.


E pra que isso aconteça, reformas estruturais deverão acontecer, bem como melhorar a gestão estatal, grande responsável pela lentidão do sistema.


Enfim, ainda bem que já saí da facu, creio que não suportaria ter que diferenciar meus amigos entre os "cotistas" dos "não-cotistas".

Comentários

Postagens mais visitadas