Estudo Sociológico 2

Continuando a minha saga de sexta-feira passada com relação a observação do lugar onde moro, quase em frente à minha casa tem um terreno que sempre é utilizado para algum evento popular, seja ele parques, circos ou palanques festas.

A desta vez foi um São João organizado por uma gente que eu nunca ouvi falar em épocas que não a de eleição - entenderam né? Pois bem, a estrutura montada era composta por palco, ilha de som e barraquinhas de comidas tipicas.

Apesar da minha pessoa não "se misturar" muito com o meio em que vive, a gordice falou mais alto e lá fui comprar comidinhas típicas do período junino. Gordos ficam imensamente felizes diante do combo vatapá + paçoca + baião.

Dai, comecei a encontrar as poucas pessoas que falo por aqui. Uma delas era da família e aí, resolvi me juntar. Papo vai, papo vem, descubro que a cerva era R$ 3, mas que duas saíam por R$ 5. Incentivos importam, meus caros...

Quando menos espero, estou  falando com gente que nunca disse um "Oi", sendo bem social mesmo. Fiquei a observar o quanto uma festinha daquela, bem simples, podia representar praquela gente. 

Menininhas que se arrumaram todas para ver se encontravam alguém que a olhassem e paquerassem. Idem alguns carinhas, que trocaram de roupa e colocaram perfumes irritantes para ver se chamavam a atenção das menininhas arrumadinhas.

E eu lá, me perguntando o tempo todo o que diabos estava eu fazendo ali, no meio de uma gente escutando música da pior qualidade (com relação ao meu gosto, são) e vendo gente se divertir com tão pouco e achando que abafavam com uma garrafa de Black White + 1 latinha de RedBul.

Mas no final, o incentivo da cerva faz a gente esquecer literalmente o meio e curtir e viver o momento. Quem falou comigo, falou... quem não falou, não fala mais, afinal, o que eu não lembro, não fiz.

E o que me restou foram as gargalhadas promovidas pelos flashes da memória ao recordar isso.

Ressaca Moral define.

Comentários

Postagens mais visitadas