Anna Karenina II

Você nunca acha que escreve algo bem. Sempre há algum defeito, uma palavra desajustada no meio da frase, um parágrafo destoante, um final sem graça. Mas quando alguém que possui respaldo em dizer o que é bom ou ruim te diz que o que escreves é bom, você sente um estalo e começa a acreditar que é possível sim, escrever bem.

Há duas semanas pulei de alegria quando uma das minhas editoras favoritas, da qual sou cliente fiel, me manda um recado dizendo que eu estava de parabéns pelo blog e que gostaria que eu colaborasse mandando um texto falando da nova adaptação de Anna Karenina e relacionasse isto com o livro.

Nunca foi tão fácil e tão difícil escrever, pois literatura russa é uma verdadeira paixão e redigir um texto falando desta era algo que sairia naturalmente de mim. O difícil é a insegurança diante do seu potencial. Foi como se eu tivesse "parindo" um filho.

Fiz com todo zelo, carinho, cuidado. Li e reli milhares de vezes, sempre achando que poderia ser melhor. O coração quase saiu pela boca. 

Enfim, clica abaixo e confere o resultado :)



Comentários

Postagens mais visitadas