Ausência

E ele estava carente. Achou que digitando meu número e ouvindo sua voz, eu iria sucumbir mais uma vez. Não posso ser anestesia de ninguém. Não posso ser um pano para tapar o que te incomodas. Não posso ser o abraço que te afagas ou o sorriso que te animas. Não posso ser a rede na varanda. Não posso ser a lua que tanto contemplas. Não posso ser teu mantra. Não posso e nem quero, pois não serei refúgio de ninguém, exceto de mim mesma.

Comentários

Postagens mais visitadas