Palavras Soltas

Acho que minha referência de felicidade é minha infância. Mesmo tendo pouco, eu era extremamente feliz. Tudo me fazia bem: brincar descalça no quintal, correr atrás dos cachorros, andar de bicicleta, me balançar na rede depois da soneca da tarde, sentar na calçada no fim do dia e esperar os amiguinhos pra brincar na rua.

Não tenho grandes ambições materiais. Não desejo morar numa mansão e nem ter o carrão do ano. Contento-me em ter um lugar aconchegante que me inspire paz e tranquilidade na companhia da minha família.

Para mim, o sucesso na profissão é exatamente saber que seu trabalho não é um trabalho. É fazer o que te impulsa pra ser alguém melhor, querer mudar, sair da zona de conforto, tudo isso com um sorriso de satisfação. Salários muito altos quase sempre não trazem isso, mas podem ser consequência disso.

Isso não quer dizer que não seja ambiciosa. Sou sim. Porém, minhas ambições não perpassam por pick-ups, fama, ego, mansões ou grifes. Minha ideia de conforto não está muito ligada a isso.

Enfim, post de palavras soltas, presas na garganta e que rolaram como lágrimas aqui. Torço e lutarei para ter  e viver a vida que almejo. Simples e abençoada.

p.s: por falar em bênção, sinta-se agraciado quando encontrares alguém que almeja ou enxerga o mesmo que você. Um dia, o ap pequeno pode não mais abrigar espaço pros anseios e desejos materiais do outro.

 

Comentários

Postagens mais visitadas