XVYZ

Quando há qualquer matéria ou notícia sobre vagas no mercado de trabalho, a primeira e principal queixa dos recrutadores é a tal falta de qualificação profissional. Chega a doer no ouvido a quantidade de vezes que eles proferem estas duas palavrinhas.

Estou à procura de emprego - logo, oficialmente desempregada, e boa parte do meu dia é preenchido com a busca incessante de vagas que combinem com meu perfil profissional ou que contemplem minha área.

Não, não irei abandonar os projetos de liberdade, mas como a maioria é na base do voluntariado (e muito me satisfaz, inclusive) e outros ainda não deram frutos pecuniários, estou à caça de um emprego para que eu possa custear minha própria vida e parar a ponte aérea For-Rio que faço mês sim, mês não, ou seja, as vagas de emprego que procuro são aqui em Fortaleza e lá no Rio de Janeiro.

Nessa minha constante "perambulagem" pelos sites de empregos, encontro vagas inicialmente lindas. Os pré-requisitos são compatíveis com o meu perfil até chegar naquele quesito que você nunca ouviu falar. Geralmente são sistemas gerenciais que empresas utilizam para facilitar seu cotidiano.

Vamos dar um exemplo:

Analista Financeiro:

Requesitos: Formação superior em Administração, Economia, desejável pós graduação na área de gestão, pacote office, internet explorer, determinação, blá blá blá e.... Necessária experiência com o sistema XVYZ.

Ora, não é necessário você estar dentro de uma instituição de ensino para aprender a mexer em sistemas gerenciais. Normalmente o conhecimento destes é tácito, ou seja, você aprende fazendo. Entretanto, parece que as empresas não estão dispostas a passar isso para o recém funcionário.

Em tempos nos quais você aprende a ser multitarefa, pedir algo muito específico é quase um insulto. Empresas diferentes possuem processos diferentes, o que inclui o tipo de sistemas que elas utilizam. Mesmo sabendo do tal sistema, cada funcionário novo deverá aprender no dia-a-dia a dinâmica da nova empresa.

Parece que estamos voltando à época em que era necessário ser especialista em apertar parafusos nas porquinhas de formato retangular. Quem não souber ou não tiver conhecimento disso, tá fora. Com isso, gostaria de fazer uma pergunta aos profissionais de Recursos Humanos: qual é o exato prejuízo que as empresas tem ao repassar o modus operandi de seus sistemas?
 
No aguardo :)

 

Comentários

Postagens mais visitadas