Gente Grande II

Entrevista de emprego logo de manhã cedo e, aqui no Rj, isso significa acordar quando o Sol nem pensa em aparecer. Incrível como o trânsito a essa hora já é ruim e o metrô entupido. Desta vez, ninguém pode me acompanhar ou ter a certeza de como eu chegaria até o local, a Ilha do Fundão.

E dá-lhe google umas trocentas vezes pra tentar achar quais ônibus - pegar mais de 1 é completamente normal aqui, onde descer e ainda tive que controlar meu medo pois, de acordo com o povo daqui, o local é perigoso por ser mega deserto. A Ilha do Fundão ou simplesmente Fundão, é onde fica localizado a UFRJ. Digamos é uma espécie de cidade universitária. Aliás, é a cidade universitária.

A maneira mais fácil que achei foi metrô + ônibus integração. Peguei a lata de sardinha umas 7 da manhã e dez minutinhos depois já entrava no busão que me levaria até a Ilha. Soube, logo que entrei, que o ônibus parava em frente ao meu ponto. Ótimo, não tenho com o que me preocupar.

Até que o trajeto de ida foi, incrivelmente, rápido. Só o acesso à linha amarela é que demorou um pouquinho, mas fora isso, tranquilo. 40 min depois estava eu, de cara pra pessoa que solicitou minha presença.

Não irei comentar como foi, até pq to pensando em fazer mais um post falando do modus operandi das seleções que, ao meu ver, são cada vez mais ineficientes e fazem a gente perder um tempo danado.

Enfim, na volta, fiz o mesmíssimo caminho e, ao chegar no portão de casa, me veio o sorriso de satisfação ao perceber que, além de não ter me perdido, comecei a manjar dos paranauês desse Rj.

(:

Comentários

Postagens mais visitadas