Lá Vem o Alemão

Ontem, durante a espera do P3, eis que surge uma notícia que me fez rir. Não era aquele riso feliz, era o riso de quem soltava internamente um palavrão diante de algo inacreditável: Vettel na Ferrari.

Admirava Vettel em seu início de carreira, pela sua humildade, vontade de aprender e pelo fato de ter sempre em seu rosto um sorriso - e ah, por  ter sido pupilo do meu ídolo, Schumacher (#forçasempre). O jeito dele no início da carreira era algo que me energizava de esperança, pois sabia que ele seria um dos que renovaria a querida F1.

Títulos foram vindos, a parceria com a RBR a melhor possível e o que vi depois do tetra foi um piloto carrancudo que esqueceu de sorrir. Um piloto que aprender a ganhar mas não lembra mais como era perder. Essa temporada não deu frutos para ele, o carro não ajustou e a impressão que nos deu é que realmente o melhor carro vencer (Alonso tirando leite de pedra da Ferrari nesses tempo todo nos mostra).

Não sei se foi uma boa escolha dele, que viu Alonso estagnar em títulos à espera de um carro que lhe faça ganhar. Por falar no espanhol, há boatos de McLaren para ele. Ok, não tem Hamilton lá, então tá tranquilo.

Enfim, tô digerindo esta notícia ainda que, para mim, o lado bom dela é ter a esperança de ouvir o hino alemão seguido do italiano e relembrar os tempos de ouro. 

2015 promete e a dança das cadeiras só começou.


Comentários

Postagens mais visitadas