1 ano

Certa vez vi no facebook uma postagem de alguém comentando sobre como se sentia após 1 ano morando aqui no Rio de Janeiro. Olhei para ela e fiquei imaginando se iria sentir o que a pessoa estava sentindo. No caso, ela falava em como o início foi difícil mas que, aos poucos, foi se adaptando à "Cidade Maravilhosa".

Pois bem, hoje faz exatamente 1 ano que vim de mala e cuia e a primeira coisa que veio à minha cabeça foi a inevitável pergunta: valeu a pena? Fazendo um balanço do que já vivi ao longo desses 12 meses, digo que foi bem equilibrado. Vivi altos e baixos e acredito que irei passar por muita coisa ainda. Entretanto, o que posso dizer com toda certeza é que amadureci bastante. 

Existem certos aprendizados que nossa cidade natal jamais irá nos proporcionar e só saberemos disso quando saímos dela. Com isso, segue abaixo algumas observações sobre minha estadia aqui:

Família. O que mais faz falta. Os passeios com a minha irmã, nossa saga para fazer almoço nos fds que mainha trabalha; ir na parangaba com mainha e ficar perambulando a tarde toda; ir na tia Alice à noite e se atualizar das fofocas do bairro ou ficar vendo tv e comentando o que se passa com é algo que me faz tanta falta que, só de lembrar, os olhos marejam. 

Amigos. Todos ficaram em Fortaleza, o que faz com que eu mal tenha vida social aqui. Os únicos que tenho no Rj se mostraram mega preciosos. Espero levar para a vida toda.

Pessoas. A gaiatice, a alegria, a piada constante, o sorriso fácil do cearense (acredito que do nordestino como um todo) são casos raros de se ver. Aqui as pessoas parecem que acordam para serem estressadas e mandar todo mundo se f*der desde a hora que acorda até a hora que vai dormir. A desculpa que eles mais dão é que o ritmo de vida daqui é mais apressado, como se o resto do Brasil fosse um bando de bichos preguiças.

Comida. Sinto falta do baião, da farofa, da paçoca (a de verdade, não a que eles chamam aqui), feijão de corda, feijão verde...Época junina eu sofro em estar numa cidade que não sabe o que é ter tradição ou quadrilhas. Pra quem cresce vendo e participando disso é bem difícil passar o mes de junho em branco.

Enfim, acredito que resumi bem o que me faz falta e que é bem difícil suprir enquanto moro aqui. Ademais, espero que as coisas sempre se ajeitem, deem certo. E ah, não posso esquecer de agradecer a experiência de viver tudo o que estou vivendo. O aprendizado está sendo enorme!



Comentários

Postagens mais visitadas