Substituíveis

Ia até colocar o título de "peças de reposição", mas ai lembrei que já usei este para um texto daqui que, inclusive,  é muito visto e sempre recebo emails das pessoas se identificando com ele. Porém, a ideia de substituíveis é a mesma, o descarte imediato de algo que, parece, não é mais feito para durar.

Não sei qual é o problema das pessoas de hoje. O que diabos está errado com vocês? Porque é tão fácil usar pessoas e descartá-las, chegando a ser algo meramente corriqueiro? Pessoas usam umas as outras de diversas formas, seja preencher a carência interna, massagear o ego, conseguir vantagens, seja para simplesmente ter o prazer de usar.

Hoje com um clique você deixa de existir para alguém. Basta excluir das redes sociais. Basta apagar o histórico de conversas. Pronto. Ela nunca existiu na sua vida. Agora é tocar pra frente e achar a substituta que, voilà, tá ali no cabideiro de fotos de uma rede social qualquer.

Ninguém hoje tem a preocupação de sentir empatia por quem se relaciona. Ninguém hoje pensa nas consequências dos atos. Gostou? Ótimo! Não gostou? Foda-se. Simples assim, cada um pro seu lado. Não há paciência nem o amor ao próximo.

Concessões? Oi? Deixa isso pros malabarismos do governo! Vai ser assim e ponto e se não quiser, tchau. Sem argumentos, sem divisões, sem troca , sem nada. Abre-se mão de nada, enquanto muitos ainda, esperançosos talvez, abrem mão até de si mesmos.

Enfim, não sei qual é a dessa geração, só sei que ela não é para mim. Não gosto de nada que não possa ser ajeitado ou ajustado. Com jeitinho, todo mundo se arruma. Para eles, com jeitinho se joga fora e arruma-se outro.

Tempos de crises e lições de aprendizagem? Óbvio que não, é mais fácil dar atenção a quem se finge felicidade e vive com os clichês na ponta do teclado. Clichês, o óbvio. Boring. Odeio coisas boring, odeio facilidades, curto o work hard, dou mais valor ao que é suado. O que vem fácil, vai fácil.

Amar e gostar do outro requer convivência. Amar e ser amado requer respeito a si e ao próximo. Amar requer paciência e zelo, cuidado. Amar não tem nada a ver com isso dai que eu vejo. Amar não é deixar o outro falando sozinho, não é desrespeitá-lo e achar que nada aconteceu. Amar é colocar-se no lugar, ter empatia e, sobretudo, humildade para reconhecer erros.

Vocês não amam ninguém. Tenho pena de cada um de vocês. Um dia usa, noutro é usado. Fodam-se.

Comentários

Postagens mais visitadas