Tchau, 2016.

Nunca tinha visto um sentimento tão unânime pra falar deste ano.  Quando se pergunta como foi,  todos falam,  em uníssono,  que foi péssimo.  Não irei na contramão e digo: foi o pior ano da minha vida.
Foi o ano que atingi o fundo do poço pessoal. Não,  não tô falando de emprego,  profissão,  nada. Falo de mim,  de como me via,  do quanto desvalorizava eu mesma e me deixava ser manipulada e humilhada incontáveis vezes por alguém que só me usava.
Foram crises e crises de ansiedade,  idas à hospitais,  noites e mais noites infelizes e sozinha,  vivendo um inferno que eu tinha dito adeus ano passado mas que eu deixei entrar novamente. Eu jurava que você ia me matar.  Eu tinha certeza.
Mas aí,  vem aquela força interna que você não sabe da onde vem,  que te faz enxergar,  que te ergue e diz: não temas,  a vida é linda. E é.
Voltar à Fortaleza foi,  literalmente,  minha fortaleza.  Não há nada melhor que estar cercada pelo amor mais próximo que há de Deus,  a família. 
E com isso,  digo que foi o melhor momento da minha vida.  Meu retorno,  meu reequilibrio,  minha paz interna. Tudo que foi vivido apagou-se de tal forma que só consigo enxergar como dádiva e gratidão. 
E é com esse sentimento que deixo esse ano: gratidão.  Muito obrigada à Deus,  por ter me permitido viver tudo isso.  Obrigada família por me mostrar que não há nada melhor no mundo.  Obrigada amigos,  os de verdade,  que estão comigo pro que der e vir.
Pra terminar,  desejo à todos um ano abençoado.  O meu 2017 será diferente porque estou diferente e tenho certeza que será maravilhoso.
Feliz ano novo :)  :*

Comentários

Postagens mais visitadas